Biografia

Teresa Santos (Vila do Conde, 1985) inicia o seu percurso na dança clássica e conclui em 2007 a Licenciatura em Dança – Ramo de Educação, pela Escola Superior de Dança (IPL). Em 2010 integra o Arsenale della Danza, programa de formação em dança contemporânea da Bienal de Veneza. Dos seus trabalhos coreográficos destaca Fase dispersa com estreia na Mostra Estufa (2018) e Erm com estreia no FIS · Festival Internacional de Solos (2016), ambos produções Poeta de Gandia. Paralelamente, colabora em projectos de diferentes artistas e estruturas, destacando: Ready da Companhia Erva Daninha (2020), Dame du Cirque de troposfera.xyz (2017/2019), MESA de Ana Renata Polónia (2014), uma forma quase cilíndrica de Teresa Santos / Companhia Ao Vento, You Who Will In No Other Way de Circumstance (2013), la femme inconnue de Jean Daniel Fricker (2012), Limites da Companhia Ao Vento (2012), 30por1linha e O Homem que só pensava em números de Pedro Carvalho / Companhia Instável (2011), entre todas as coisas de Teresa Prima (2011) e Oxygen de Ismael Ivo (2010). Em 2017 frequenta o workshop On the Road com Nikos Economopoulos / Magnum Photos onde aprofunda a sua abordagem pessoal à fotografia e funda Grito Imagens. É uma leitora ávida e procura, desde cedo, escrever o mundo por palavras suas, partilhadas em Órgão de Grafia. Lota e Gradientes sonoros são projectos paralelos e complementares. Em 2011 co-funda vintiset.net, um projecto de multimédia para artistas, juntamente com Dídac Gilabert. No mesmo ano co-funda a Ventos e Tempestades – Associação Cultural, na qual exerce funções de coreógrafa, intérprete e formadora. Faz parte da equipa do FIS · Festival Internacional de Solos desde a sua primeira edição em 2015.

Back to top