Solitudes

Ondas de espaço frio batem na minha solidão, procurando pela minha liberdade, o meu silêncio. Milhões de olhos do corpo mudam de foco e as fronteiras do mundo começam a dissolver-se, permitindo ver e encontrar lugares além da pele. Quantos estão aqui a dançar connosco?

(Sobre a participação na performance Solitudes com a direcção de Jean Daniel Fricker, 2013. Nota: originalmente escrito em inglês)

Back to top